PUB

Slider[Style1]

publicidade

Style4

publicidade

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

No próximo programa FORA DE PALCO, Sandra Ferro vai receber em estúdio o cantor e ator VICTOR ESPADINHA, a não perder a partir das 21h em www.radioqc.com



Victor Espadinha começou a sua carreira profissional no Rádio Clube de Moçambique como apresentador de programas de rádio e relator desportivo e, simultaneamente como jornalista da "Tribuna", de Lourenço Marques.

No Teatro, depois de frequentar o T.A.L.M (de Mário Barradas, anos mais tarde director e encenador do Teatro Garcia Resende de Évora), estreia-se como actor profissional na Companhia de Henrique Santos, inaugurando o Teatro Avenida de Lourenço Marques (1962), interpretando várias peças de Moliére, Gil Vicente e Prestley.

Em 1964 parte para a Rodésia do Norte (Zambia) e ingressa na Northern Rhodesia Television (NRTV) onde estagia como operador de câmara e assistente de realização, acabando por ingressar nos quadros daquela estação como apresentador de programas.

Parte para Londres onde frequenta vários cursos de Teatro, enquanto, paralelamente, trabalha na Hitachi e é inspector de jogo no Casino Playboy, profissões que exerce para poder estudar.
Em 1966 vem para Lisboa, ingressando como jornalista no Diário Popular de Francisco Balsemão e, simultaneamente, é criativo de publicidade na General Motors, e faz parte do elenco de "Proscenium", grupo teatral dirigido por Pedro Lemos no Teatro Nacional, representando várias peças clássicas.

Em 1966, Victor Espadinha, vence um concurso de locutores no Rádio Clube Português, ficando em 1º lugar e, durante alguns anos, é noticiarista daquela estação, realiza e apresenta inúmeros programas, entre os quais "Europa", que viria a dar muita tinta a correr nos jornais. Victor Espadinha foi o primeiro DJ português (livro "Telefonia" de Marios Maia, edição do Circulo de Leitores). Foi também comediante nos "Parodiantes de Lisboa". Anos mais tarde, já depois do 25 de Abril, voltaria à Rádio Comercial (ex-Rádio Clube) como realizador e entertainer.

Em 1967, Victor Espadinha, estreia-se finalmente como actor profissional em Portugal, no Teatro Vilaret, na companhia de Eunice Muñoz na comédia "Deliciosamente Louca", onde faziam igualmente parte do elenco Ruy de Carvalho, Rogário Paulo e João Perry.

Victor Espadinha passa a dedicar-se ao Teatro e durante alguns anos interpreta dezenas de dramas, comédias e revistas. "Mostra-me a Tua Piscina" ("Pyjama Tops"), por exemplo esteve dois anos de lotações esgotadas no Teatro de maior lotação do país: o Capitólio! Esta comédia foi encenada pelo inglês Alexander Doré, o encenador preferido de Harold Pinter, e protagonizado pelo actor português.
Em Londres, onde viveu muitos anos, foi também actor, salientando o musical "Cabaret", no palco do "Celebrity", um dos mais famosos cabarés do West End Londrino, numa produção de John MacGrath.
Volta para Lisboa e, com o empresário Sérgio de Azevêdo, no Teatro ABC, integra o elenco de várias revistas consideradas pelas critica os melhores espectáculos de revista feitos no Parque Mayer. Esta revolução começa com "Dura Lex Sed Sex" em que o actor devide o protagonismo com a grande Isabel de Castro numa encenação de João Guedes do Teatro Experimental do Porto.
Em 1977, Victor Espadinha faz uma incursão pela música que viria a dar resultados nada comuns no país: "Recordar é Viver" já vendeu mais de um milhão de cópias. O actor foi galardoado no Brasil com o prémio "Canos do Tejo", e grava mais de cinquenta originais de Ary dos Santos, Tozé Brito, Joaquim Pessoa, Nuno Nazareth Fernandes, Pedro Osório e muito outros.
Durante vários anos fez concertos por Portugal, Brasil, toda a Europa e Estados Unidos. De 1987 a 1992, Victor Espadinha protagoniza cinco grandes musicais no Casino Estoril. Durante cinco anos todos os dias em palco! Um espectáculo por ano! "Cabaret", "Sindbad, "O Marinheiro", "Super-Homem", "Yellow Submarine". Cinco anos, 1825 noites em palco! Um recorde em qualquer parte do mundo! Ficou célebre a frase de Mário Assis Ferreira: "Victor Espadinha é o maior actor vivo!"

Na RTP, em 1989, escreveu, interpretou e apresentou "P'ra Variar" ("Roda O Palco"), programa transmitido em directo, de 2ª a 6ª antes do telejornal.
Participou em várias telenovelas e séries para a SIC, TVI e RTP.
Durante cinco anos (2001/2006) integrou o elenco de "Malucos do Riso" (cinco anos em 1º lugar nas audiências de tv.


  • A seguir protagonizou as peças: "As Taradas" (Teatro Tivoli) e "Acredita, Estou Possuído" (Teatros Vilaret e Sá da Bandeira no Porto)
  • José Fonseca e Costa convida-o para o filme: "Viúva Rica e Solteira Não Fica".
  • 2010: Serie para a SIC: "Família Mata", interpretando o patrono da família.
  • Em 2012, Celso Cleto convida-o para participar na peça "A Curva da Felicidade" que esteve dois anos em cena. 
  • Em Outubro de 2013 escreve a sua autobiografia "No Palco da Vida", editada pela Chiado Editora.´
  • 2013: Serie para a RTP 1, "Hotel 5 Estrelas.
  • 2015: "Agora Escolha", RTP 1, e inaugura o seu PIANO & CO., o piano bar do Estoril.


Em 2012, Victor Espadinha comemorou 50 anos de carreira.


Se não teve oportunidade de ouvir a conversa em directo, ouça tudo agora!

Partilhe connosco o seu comentário! A sua opinião é importante para nós...

Partilhe com os seus amigos

«
Seguinte
Mensagem mais recente
»
Anterior
Mensagem antiga