ads

Slider[Style1]

publicidade

Style2

publicidade

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

publicidade

Style4



clica e ouve as entrevistas e emissões já realizadas na tua rádio 

Style5


No próximo programa AO ENCONTRO DA POESIA, Pedro Nobre, vai receber em estúdio o Poeta LUÍS OCHOA que nos vem apresentar o seu primeiro livro de poesia "INVERSÕES". Quando forem 22h iremos ter a  presença da poetisa FÁTIMA HORTA com a rubrica "Um momento de poesia Popular".

 BIOGRAFIA 

LUÍS Duarte Batista OCHOA, nasceu em Huambo, antiga Nova Lisboa, Angola, em 1970. Em 1975, na altura da guerra colonial, vem para Portugal, radicando-se na terra de seus pais em Trás os Montes. Após a escola primária, frequentou o seminário diocesano de Nossa Senhora da Encarnação, em Vinhais, e S. José, em Bragança, onde concluiu o ensino secundário. Licenciou-se em Português, Latim e Grego na Universidade de Aveiro, tendo, ao mesmo tempo, frequentado o curso de Piano no Conservatório Calouste Gulbenkian. O ensino tem preenchido a sua vida profissional, no entanto, tem procurado diversificar-se em atividades artísticas, nomeadamente o teatro, onde foi já encenador das peças Felizmente Há Luar!, de Sttau Monteiro, Édipo Rei, de Sófocles e Pedro, O Cru, de António Patrício. A escrita sempre o tem acompanhado, porém só agora decidiu fazer a sua primeira publicação com o livro Inversões.

Em Inversões pressente-se um grande talento da poesia contemporânea.

Detentor de uma escrita espontânea, rebuscada, onde se misturam a extrema sensibilidade e espírito crítico, o autor consegue, ora de forma subtil e jocosa, ora direta, expor belíssimos quadros da vida.
A sua poesia alicia, é arte de dizer desdizendo, é um doce desafio ao leitor, é um jogo hermético emaranhado de verdade e ficção. Inversões prima pelo desdobramento de sentires de uma forma muito peculiar.

A poesia de Luís Ochoa é multifacetada, projetando ora a visão inquietante sobre um mundo desajustado e corrupto, ora revelando-nos com mestria através de um toque personalizado de erotismo o lado fútil, profano e boémio da vida. (Noémia Urbano Pinheiro)

Partilhe connosco o seu comentário! A sua opinião é importante para nós...

Partilhe com os seus amigos

«
Seguinte
Mensagem mais recente
»
Anterior
Mensagem antiga